Bar é uma sinfonia social

Bar, estreito espaço onde a vida ganha sentido.

Lugar onde há encontros e desencontros.

Bar, para o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, precisa ser fechado às 23h, por quê?

Bar de Campinas terá que fechar 23h
Fotos: Free Google

O bar é o lugar onde se pode até arrumar emprego.

Pode-se arrumar a namorada, ou um encontro furtivo.

Bar, ponto de distensionamento para assalariados, único ponto de lazer na periferia.

Pois bem, um especialista qualquer em segurança, deve ter sentado com o prefeito e dito que boteco fechado garante a tranquilidade, com menos crimes, menos assassinados, menos isso, menos aquilo.

Como se o Bar, fechado no horário determinado, melhora-se a falta de médicos, de remédios, de emprego, de dinheiro, de oportunidade naquela universidade e vai longe esta conversa.

No bar se escuta a piada de fim de noite, se leva o amigo japonês, cambaleante, para seu prédio.

Segue-se feliz pelo caminho, no silêncio da madrugada que começa, lembrando dos alunos e das aulas do dia que se inicia.

O bar é o aconchego também, dos desvalidos pela sorte.

Do corno que não terá a mulher em casa quando voltar da bebedeira..

Das moças flácidas que vagam pela noite buscando um copo amigo.

Das mocinhas também, hoje novinhas, que falam palavrões a cada gole e riem, com os velhacos assustados, observando, como são as mulheres dos tempos de então.

No boteco ainda, vem o pastor, meio acabrunhado, fingir que toma água, num copo americano cheio.

Tem a viúva que rouba um beijo meu, e diz que anda curtindo a vida.

Bar também do chapeiro, do garçom, do caixa, do dono narigudo e cordial.

E em Campinas querem acabar com o maior e mais humano ponto de encontro depois das 23h. Querem acabar com o lazer da maioria.

Façamos o seguinte então: vamos tomar uma cachaça na porta da casa do prefeito, de lá não saímos até que o prefeito libere o horário, talvez diante de tantos botequeiros abandonados, ele deixe a festa seguir noite a dentro.

Aliás, bar é uma sinfonia social, é a voz mais real da sociedade. Em cada canto de mesa, há quem veja neste lugar o prazer em estar vivo, bebendo com os amigos de bem, sem se preocupar se Campinas tem prefeito ou não tem.

Por Edson Pereira Filho, jornalista, escritor e professor.

Deixe uma resposta