Arquivo da categoria: Economia

Economia, inflação, recessão

Crédito online para pequenas e médias empresas no BNDES

Por Edson Pereira Filho

O empresário que precisa de crédito (dinheiro) para expandir o negócio e até pagar contas atrasadas, conta agora com  empréstimo online pelo BNDES.

O serviço que começou a funcionar esta semana é a primeira experiência do banco governamental de crédito direto na internet.

Pequenos e médios empresários devem clicar aqui para conhecer o novo serviço do banco.

Crédito para empresas
Foto: Google.

O crédito é direcionado às micro, pequenas e médias empresas. E a plataforma da internet atende a este seguimento empresarial.

O canal foi lançado em São Paulo pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“É um instrumento que pretende levar informação sobre o crédito ao micro e pequeno empresário. A lógica é expandir o crédito”, frisou o diretor da área de operações indiretas do BNDES, Ricardo Ramos.

Podem adquirir crédito empresas com faturamento anual de até R$300 milhões.

O empresário identifica as linhas de crédito mais adequadas para o seu empreendimento, simula financiamentos, aponta os agentes financeiros intermediadores (bancos) de sua preferência e encaminha, de forma ágil, seu interesse.

O canal pode também ser acessado por dispositivos móveis (celulares e tablets).

Serão oferecidos a crédito no mercado R$85 bilhões este ano. Ano que vem, a quantia que deve ser repassada por empréstimos às empresas será de R$100 bilhões, segundo o banco governamental.

O desafio, segundo o banco, é fazer chegar o crédito a 83% do universo de micro e pequenas empresas que não têm acesso ao sistema de financiamento”.

Créditos em 2017

As empresas ficaram com 38% do total que o BNDES emprestou nos cinco primeiros meses deste ano, o que manteve a trajetória de crescimento da participação do segmento no desembolso total do banco, segundo divulgação da Agência Brasil, empresa de comunicação do governo.

Entre 2015 e 2016, a fatia dessas empresas cresceu de 27,5% para 30,8%. Segundo o BNDES, a expansão continuou em 2017, o que reflete a prioridade da ampliação do acesso de MPMEs ao crédito do BNDES nas novas políticas operacionais do Banco.

O banco tenta eliminar transações indiretas, 50% das operações de crédito, quase todas elas feitas por terceiros, não realizadas diretamente pelo empresário.

 

Crise faz crescer compras pela internet em 43%

Dos mais de 100 milhões (IBGE/2016) de internautas no Brasil, 89% compraram produtos e serviços na internet nos últimos 90 dias, segundo pesquisa divulgada esta semana pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

43 milhões (ou 43%) de consumidores estão usando mais a internet para comprar do que há um ano.

Compras na internet
Foto: Google

A satisfação das compras na internet atingiu 87% entre os consumidores

Apenas 30% têm medo de não receber o produto em casa.

As compras na internet deixaram de ser um tabu, independente da condição social, gênero e idade.

O levantamento aponta que 89% dos internautas fizeram compras no último ano, mantendo elevado o índice de consumo em qualquer extrato social.

Os homens, 93% deles, são o destaque nas compras pela internet.

Consumindo fora da internet, permanecem apenas 4% das pessoas, que admitiram nunca terem feito qualquer compra online.

Vantagens em fazer compras na Internet

Compras na internet
Foto: Google

O restante, 38%, o volume se manteve estável, enquanto 18% diminuíram as compras feitas por esse meio.

58% mencionam que compra na internet porque os produtos e serviços são mais baratos.

45% compra na internet porque quer comodidade, não precisando sair de casa.

31% gostam de comprar por este meio, pois podem fazer isso a qualquer horário do dia ou da noite.

28% gostam da facilidade em poder comparar preços do mesmo produto na internet antes de comprar.

O presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, declara que “a internet trouxe ao consumidor a liberdade de comprar quando e onde quiser. Se antes as pessoas tinham de ir até as lojas e demais centros de consumo, agora são os varejistas quem precisam encontrar seus clientes, oferecendo plataformas amigáveis, ofertas convidativas e informações relevantes para reter por mais tempo a atenção de potenciais compradores”.

Desvantagens de compras em rede

49% consideram negativo o pagamento do frete para receber o produto adquirido.

42% gostariam de experimentar o produto antes de compar. Este problema, entretanto, pode ser superado na visita de uma loja física, antes da compra online mais em conta.

Outros 39% gostaria de sentir o cheiro daquilo que compram.

30% ainda ficam inseguros se o produto será entregue.

65% pagam com cartão de crédito as compras na internet, sendo que homens e mulheres juntos na pesquisa, gastam uma média de R$292,00.

46% dos compradores compraram de maneira impulsiva, sem ter sentido antes a necessidade para adquirir o bem ou serviço.

Compras na internet
Foto: Google

38% aderiram a compra por impulso devido a promoções na internet.

10% compraram por impulso, por questões emocionais.

5% compraram na internet porque não encontraram os produtos nas lojas físicas.

Faça o teste e descubra se você é um bom comprador online.

 

Homens gastam mais em compras pela internet

Os internautas brasileiros gastam em média R$ 343,00 em cada compra. Já as mulheres gastam, por compra, R$243,00. Mesmo a média de homens e mulheres nos gastos com produtos na rede já bate a média de R$292,00. Os dados fazer parte de uma pesquisa nacional feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

65% compraram produtos com cartão de crédito, fazendo em média cinco parcelas.

compras na internet
Foto: Google

45% fizeram apenas uma parcela no cartão de crédito.

53% dos consumidores optaram por comprar com boleto bancário.

Ferramentas como PayPal, Moip e Pag Seguro foram usados por

31% da amostra e somente 9% fizeram compras por meio de vale-presentes.

Quem optou em pagar à vista, 44% relataram ter conseguido algum desconto.

O que se compra na internet

Vestuário, ingressos, livros e celulares lideram ranking; um quarto teve problemas com as compras.

Considerando os últimos três meses, os itens mais comprados foram: vestuário, calçados e acessórios (35%), ingressos para shows, teatro, cinema e eventos esportivos (27%), livros – sejam eles físicos ou digitais (27%)-, celulares (24%), produtos eletrônicos (24%), artigos para casa (24%), remédios ou produtos para saúde (22%) e cosméticos e perfumes (21%). A maior parte das compras é feita por meio de computadores ou notebooks (67%), mas 21% já utilizam os smartphones para comprar online.

Quem lidera na venda de produtos

81% são de sites de grandes redes varejistas.

42% são dos classificados de compra e venda.

30% dos sites especializados em roupas, sapatos e acessórios.

28% dos sites de ofertas e desconto.

28% dos sites internacionais é a preferência dos compradores online.

Satisfação nas compras pela Internet

87% internautas ficaram satisfeitos com a sua última aquisição na internet.

4% ficaram insatisfeitas ou arrependidas com a experiência.

26% dos compradores online disse ter enfrentado algum problema ao realizar uma compra pela internet nos últimos 12 meses, sendo que os contratempos mais comuns foram à entrega fora do prazo (11%), não receber o produto (6%) e receber algo diferente do que havia comprado (6%). Há, ainda, 4% de pessoas que receberam o produto danificado.

37% não conseguiram ter o problema resolvido e arcaram sozinhos com o prejuízo.

60% garantiram ter conseguido solucionar o problema, geralmente com a devolução do dinheiro investido (26%) ou com a troca do produto (11%).

97% tomam cuidado para fazer compras online; nota para segurança é 7,9, de 1 a 10.

Embora a nota seja elevada, apenas 20% dos entrevistados garantem sentir-se totalmente seguros para fazer compras na internet.

Os especialistas do SPC Brasil também alertam que os empresários varejistas que atuam na internet devem encarar o investimento em segurança digital como um dos pilares de seu negócio.

97% dos compradores tomam algum tipo de cuidado, como sempre comprar em sites conhecidos ou indicados (60%), imprimir ou arquivar todos os passos de compra, inclusive e-mails de informação

(40%) e evitar cadastrar dados do cartão de crédito para compras futuras (37%).

O que se evita comprar na internet

A contratação de seguros (27%),
Jóias (27%), bebidas (16%),
Remédios ou produtos para a saúde (16%),
Produtos eróticos (15%) são as categorias de produtos que mais afastam os consumidores nas compras pela internet.
Fonte: CMDL – Metodologia/A pesquisa ouviu 673 internautas nas 27 capitais. A margem de erro é de 3,4 pontos a uma margem de confiança de 95%.
Faça o teste e descubra se você é um bom comprador online.

Frutas que estão em alta neste frio

As frutas que estão em alta neste mês de junho são a carambola, o kiwi, a laranja-lima, o mangostão, o marmelo, mexerica e tangerina.

As temperaturas baixas só eram esperadas próximo ao dia 21 junho deste mês, quando, oficialmente, começa o inverno, que se estende até o dia 22 setembro.

Com a queda inesperada da temperatura e chuvas moderadas, as frutas ganharam vigor e bom preço, segundo os próprios atacadistas que comercializam este tipo de mercadoria.

Estas frutas são da estação e podem ser encontradas por um bom preço, devido a seu período de colheita também.

O benefício de tais frutos, comprovados por pesquisadores de diversas áreas, já é algo comprovado por gerações.

Mexerica
Foto: Modelo e mexerica – Foto: Free Google.

A dica serve para quem quer cuidar não só da saúde, mas utilizar tais frutos como remédio, atuando, muitas das vezes, de forma preventiva contra doenças.

Pesquisadores da USP e da Esalq recomendam neste frio de junho e julho a carambola, o kiwi, a laranja-lima, o marmelo, a mexerica e a tangerina.

Porém, até agosto dá para consumir também, a safra natural da banana-nanica, do caju, da laranja-pera, da maçã e do morango.

Frutas e frutos para saúde e bem-estar

Carambola

Carambola serve:
Para curar ressacas, queimaduras solares, tosses, febre, úlceras, náusea, indigestão e dor de garganta.

As folhas servem para cura de inflamações na pele acompanhadas de pus e furúnculos.

Faça chá com as folhas e obtenha um remédio natural para dores de cabeça, micose e catapora.
O fruto promove ainda, a saciedade quando consumido, contribuindo para o emagrecimento.

O fruto, devido grande quantidade de ácio fólico, ajuda a evitar AVC e doenças cardíacas.

Elimina os radicais livres, promovendo rejuvenescimento das células do corpo.

Ajuda na amamentação, aumentando a quantidade de leite na mãe.

Entretanto, não é recomendada para doentes renais, pois contém uma substância tóxica chamada caraboxina. a qual pode provocar convulsão ( dados da USP de Ribeirão Preto, SP).

Kiwi, fruta tropical
Kiwi

Kiwi serve:
Para prevenir prisão de ventre, reduz o colesterol alto e regula a pressão arterial.

Laranja Lima
Laranja lima

Laranja lima serve:
Rica em vitamina C, combate o colesterol, melhora os problemas digestivos, estimula as funções intestinais, previne gripes e infecções.

Mangostão
Mangostão

Mangostão seve:
Como anti-inflamatórios, anti-bacterianas, anti-fúngicos, anti-alérgicos e os anti-oxidantes.

Marmelo
Marmelo

Marmelo serve:
É rico em vitamina A, C, do complexo B e E, ácido málico, pectinas, minerais, como o potássio, ferro e cobre. Ajuda a curar diarreia, é calmante, trata queimaduras e fortifica o aparelho digestivo.
Mexerica e Tangerina servem: Ricas em vita mina C e frutas altamente laxativas, ajudando na digestão dos alimentos. Traz benefícios substanciais a pele.

Caixa amplia horário para saque do FGTS

Repórter Edson Pereira Filho

Foto: Agência central da Caixa em Campinas, muitas pessoas e atendimento demorado no último sábado/ Foto: Edson Pereira Filho

As agências da Caixa abrem mais cedo nesta terça-feira e amanhã (12/4), a partir de 9 h, embora o horário normal de atendimento é sempre a partir das 11h. Os trabalhadores devem trazer a carteira de trabalho para tirar dúvidas, como sacar dinheiro das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
Em algumas cidades do País, onde o atendimento é, normalmente, às 10h, será feito a partir das 8h. Todas as agências fecharão uma hora mais tarde (17h). Caso ainda, o trabalhador alegue que tem direito, mesmo tendo consultado via internet seu saldo negativo, deve levar a recisão de contrato de trabalho, para conferir possíveis equívocos nos lançamentos da conta inativa.
Serão 3.412 agências atendendo em todo País, porém não terão horários especiais os 837 postos de atendimento e as oito unidades móveis (caminhões) da Caixa. As agências lotaram no último sábado, e em vista disso, a direção da Caixa resolveu aumentar o horário de atendimento para os 7,7 milhões de trabalhadores nascidos em março, abril, e maio, são os que estão em condições de sacar neste momento.

Estão nos cofres do banco cerca de R$11,2 bilhões, 26% de todo quantia que a Caixa pretende liberar aos brasileiros. Os trabalhadores terão até o dia 31 de julho para sacar o dinheiro, que podem ainda, receber automaticamente em suas contas.
Desde sábado (8), 7,7 milhões de brasileiros nascidos em março, abril e maio podem sacar os recursos das contas inativas do FGTS. Esses trabalhadores têm até 31 de julho para fazer o saque, caso não recebam automaticamente em conta. Mesmo trabalhadores que tenham pedido demissão até o dia 31 de dezembro de 2015, tem contas inativas para retirada do dinheiro.